Cotidiano

Lembrança

música

Por: Zeneide Ribeiro de Santana

Ontem me veio à memória um fato ocorrido há vários anos.

Voltava para casa, dirigindo, quando prestei atenção no carro da frente. A motorista conduzia duas crianças e pareciam falar todas ao mesmo tempo. De repente, ela levantou a mão esquerda e começou a bater ritmadamente no espaço entre a janela e o teto do carro. Quando o sinal fechou, na esquina da padaria Bela Portuense, emparelhei o veículo com o dela e a reconheci. Era uma ex-aluna muito querida, com suas duas filhas, voltando do Colégio. Não  tagarelavam, como pensei, mas cantavam juntas. Nem me viram, envolvidas que estavam na música de louvor a Deus. Não me lembro se acompanhavam um CD ou cantavam à capela. Só sei que era uma melodia conhecida, muito linda.

O sinal abriu e lá se foram elas, espalhando pelo ar o eco das suas belas vozes.

E o tempo passou…

Explico por que me lembrei dessa cena ontem à noite, durante o culto na IPI de S. Caetano do Sul. Estavam na igreja as personagens daquele carro, da família Artigas Costa, juntas com o pai, Edmilson, e o César, marido da Carol. Os três jovens se posicionaram à frente para louvar a Deus com instrumentos e com as vozes, em companhia de outras irmãs queridas. Momento lindo e emocionante, de comunhão e de entrega! Pude, então, agradecer ao Senhor por eles e por todos os outros que tocam e cantam para o louvor da sua glória. Pareciam mesmo consagrados e muito conscientes de que “prazer maior não há/ que me render e te adorar.”

Muito sábio o conselho de Provérbios 22:6 : “Ensina a criança no caminho em que deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele.”

Bem-aventurados os pais que o acatam, não é mesmo, Leila?

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

4 Comments

Leave a Comment