Cotidiano

Má notícia

 

má notícia

Por: Zeneide Ribeiro de Santana

Muitos reis da Antiguidade mandavam decapitar o mensageiro que trazia más notícias. Um exército derrotado, uma rebelião vitoriosa e adeus, portador! Não vivemos mais nesses tempos, ainda bem!

Muita gente tem prazer em contar novidades, sejam boas ou más, verdadeiras ou não. Quem revela algo inédito parece se sentir momentaneamente superior por divulgar aquilo que só ela conhece. Chega mesmo a criar suspense, a contar aos poucos, a adiar a conclusão, talvez para saborear melhor a reação dos ouvintes.

Na verdade, há certas notícias que chegam inesperadamente, com o efeito de um soco no estômago. Produzem reações fisiológicas dolorosas, que desestabilizam completamente as emoções e abalam a saúde de qualquer um.

-Quero falar com meu pai!- disse a criança ao telefone.

Foi assim que uma mulher, na véspera do Natal, descobriu que seu marido tinha um filho da mesma idade da sua filha de cinco anos.

Quando se trata de assaltos, sequestros, acidentes fatais, doenças graves, demissões, tragédias em geral, não há jeito de suavizar a notícia. Por mais que se prepare os que vão ouvir, sempre há aquele impacto doloroso.

Quem confia em Deus e crê nas suas promessas não está livre de tribulações e de problemas sérios que repentinamente transtornam a vida. Quando tudo parece ir bem, lá vem um vendaval para tentar destruir a paz. A diferença é que a fé nos capacita a receber as situações adversas  sem tanto desespero, pois sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que foram chamados segundo o seu propósito” ( Rom. 8:28). 

O salmista afirma que o justo “não temerá más notícias; seu coração está firme, confiante no Senhor.” (Salmo 112:7)
Que assim nosso Deus nos ajude a lidar com essas novidades amargas, pois “não nos deu espírito de temor, mas de fortaleza e de amor e de moderação.” (II Timóteo 1:7)

 

 

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment