Recordações

Fica, Senhor, comigo!

pexels-photo-27633
Written by Zeneide

De acordo com o relato do primo Douglas, num dos encontros com seu pai, Levi Diniz Vieira, após momentos de oração, perguntou se o tio estava sentindo que deveria dizer alguma coisa. Então, ele, com sua voz profunda e emocionada, declamou pausadamente este poema de Gioia Júnior:

Fica, Senhor, comigo; a noite é vasta e fria.
Segura a minha mão, até que chegue o dia.
Em Tua companhia é claro o meu caminho
e eu não quero ficar para sempre sozinho.
Não fosse o Teu cuidado, e eu, por certo, estaria
abatido e infeliz, numa senda de espinho.

Fica, Senhor, comigo; o coração da gente
é fraco e pequenino e bate fortemente
ao ruído menor dos prenúncios fatais,
de procelas cruéis e rudes temporais…
Dá que eu possa sentir, Senhor, eternamente,
amparando meu ser, Teus braços paternais.

Fica, Senhor, comigo; a mocidade passa
como a leve espiral escura de fumaça
e a solidão do velho é triste e sem alento
e plena de incerteza e mau pressentimento.
A Teu lado eu terei consolo na desgraça,
conforto na miséria e paz no sofrimento.

Fica, Senhor, comigo; os meus olhos sem luz
querem também Te ver na Estrada de Emaús
da minha vida, pois só Tu és meu abrigo,
meu amigo melhor, meu verdadeiro amigo.
Por isso é que Te peço, ó bendito Jesus,
eu não quero estar só. Fica, Senhor, comigo!

Tenho certeza de que sua oração foi ouvida, pois o tio Levi não ficou sozinho, teve a companhia do seu melhor e verdadeiro amigo, até o fim dos seus dias aqui na terra. Creio que continua desfrutando da paz que a presença de Jesus proporciona aos que nele creem.

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment