Cotidiano

Um bom asilo

ailo
Written by Zeneide

À entrada do supermercado, vi um casal conversando com um funcionário. Como estavam obstruindo a passagem, parei e não pude deixar de observá-los. Ele, bem alto, mas encurvado, aparentando no máximo sessenta anos e ela, ar cansado, mais envelhecida. Ouvi quando ele disse, em voz alta, tensa e meio enrolada:

– Olhe como estou! Ainda bem que fiz tudo para os meus filhos, dei tudo que eles precisavam. Agora eles têm condições de me mandar para um bom asilo!

Fui caminhando atrás deles, muito chocada, especialmente ao perceber que ele tinha sobrevivido a um AVC. Não conseguia se mover sem se apoiar no ombro da mulher, miúda, que procurava andar bem devagar.

Na minha cabeça foi se formando uma história cheia de tristeza, que procurei afastar rapidamente. Pareceu-me ouvir: “Não julgueis…” mas, não dava para ignorar o que tinha presenciado.

Na banca de legumes, vi a mulher ao meu lado e o comentário dela foi mais amargo que os jilós meio murchos; ela descontou nas cenouras todo o sentimento que parecia represado. Mas creio que o marido ouviu, enquanto se mantinha apoiado numa banca de laranjas, quieto, quieto… “Não fazem nada direito! Misturam mercadoria nova com as que não prestam mais pra nada!”

Não os vi mais. Paguei minhas compras e voltei lentamente para casa, pensando pensando…

Não sei se minha imaginação me levou longe demais, mas o que senti foi uma pena enorme daquele casal.  Como deveria estar difícil a vida dessa família! E quantas outras famílias estariam passando pos situação semelhante! E quando é a mulher que se vê limitada fisicamente? E se …

Nada havia de concreto para fazer. Mas sempre há o recurso da oração. Peço, com toda esperança, que Deus olhe com misericórdia para aquele casal, que trabalhe de alguma forma no coração de cada um, que direcione as decisões e que os ampare nessa dificuldade.

Senhor, são tantas as necessidades, tantos os enfermos, desiludidos e desesperançados! Cuida de cada um com teu amor e olha com compaixão para os cuidadores, tão necessitados também da tua ajuda. Amém!

 

 

 

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment