Cotidiano Esperança

O jardim do preguiçoso

jardim
Written by Zeneide

No livro de meditações diárias de  Surgeon, li um  texto do Dr. Payson, no qual compara sua igreja e seu coração ao jardim do preguiçoso. Interessante como ele fala desse jardim mal cuidado, observando que o desejo de melhorá-lo pode ser causado por orgulho, vaidade e indolência.

Se quiser arrancar as ervas daninhas que arruínam seu jardim, esse desejo será causado pela vontade de dizer a si mesmo:”Vejam o excelente estado do meu jardim!”. Isso é orgulho. Pode ser também que seus vizinhos olhem por cima do muro e digam: “Ora, veja como o seu jardim está florescendo!”  Isso é vaidade.

Ou talvez esteja cansado de arrancar as ervas daninhas, por isso queira destruí-las. Isso é indolência.

Refletindo sobre esse relato, procurei imaginar meu coração como esse jardim do preguiçoso. Como é fácil, por descuido ou preguiça, deixar que o mato cresça, pragas se alastrem, raízes se aprofundem e tomem conta do terreno. Aos poucos, as belas plantas irão sufocar, por falta de espaço e de nutrientes. Espinhos, folhas e galhos secos tomarão o lugar das flores de antes.

Se isso acontecer, sempre é tempo de socorro. Mas não conseguiremos limpá-lo sem a ajuda do Grande Jardineiro, especialista em restauração. Toda erva daninha pode ser destruída pelo seu amor demonstrado a cada um de nós. Sim, nosso pecado pode ser extinto pelo poder do seu sangue derramado na cruz.

Mas, todo cuidado é pouco! A renovação não deve ser buscada por orgulho ou por vaidade, pois quando o Senhor Jesus leva nosso pecado, Ele apresenta ao seu Pai não a nossa falta de santidade, e sim a sua própria santidade.

Chega de preguiça! Que nosso jardim seja restaurado, com a expulsão da mágoa, da desilusão e de toda raiz de amargura. Que nossas plantas vicejem e produzam flores lindíssimas, pois jardim recuperado significa um bom passo rumo à ansiada santificação.

Lembremos a bela profecia de Isaías:

O SENHOR te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas jamais faltam.”

 

 

 

 

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment