Cotidiano

Trate seus familiares como se fossem visitas

café
Written by Zeneide
Um dia minha mãe falou a frase acima. Quando um dos participantes – crianças – questionou a frase, ela soltou esta: “nós nos acostumamos tanto com as pessoas de casa, que nos esquecemos de que ninguém precisa ficar sentindo o bafo de alguém. Com certeza, se vier alguma visita, a pessoa corre e escova o dente”.
Pronto! Eu, aos 9 anos, entendi direitinho a mensagem.
Quando uma visita dorme na sua casa, você prepara um café da manhã melhor. Pode ser por exibicionismo (“veja como estou bem de vida”), como pode ser por carinho/amor (quero te oferecer algo bom – por você sou capaz de me esforçar).
Você dá atenção às visitas, tem paciência, oferece o que é bom. Quando a visita chega na sua casa, você larga a TV e vai conversar com ela. Ela é a PRIORIDADE.
E quando é um familiar? Será que ele é sua prioridade? Deveria ser, pois ele é MAIS IMPORTANTE.
Nós podemos oferecer o que é bom. Sorte nossa! Nós podemos oferecer o que é bom, com amor. Muita sorte nossa!
É muito importante que o dia-a-dia não diminua a capacidade de os familiares interagirem. A vida boa é feita de trocas, troca precisa de atenção no outro, atenção no ambiente.
 Toda vez que for explodir ou achar que vai “ficar louco”, abrace. Abrace bem forte. Até que a paz reine em seu coração. Espere um pouco mais, mais um pouquinho. Então, só então, decida que atitude irá tomar.
E toda vez que o rancor o afastar das pessoas, se aproxime, sente perto. Mesmo que seja em silêncio. Até que o rancor não seja capaz de afastá-lo. Então, só então, decida que atitude tomar.
Se vem uma visita na sua casa e faz algo que você não gosta, você não responde imediatamente e nem no mesmo tom. O mesmo deve acontecer quando é um familiar.
Uma das maiores dificuldades das famílias são as respostas imediatas, no calor da emoção negativa. Preste atenção nisso e faça um pacto familiar ou pessoal de não responder imediatamente e negativamente. No começo é difícil. Depois, só depois, entendemos o quanto é benéfica essa atitude.
Lembre: se sua família não quiser mudar, mude você. Escolha o que é nobre, e tenha muito mais alegria na vida. Tenha mais satisfação, tenha mais energia, abra sua mente para níveis mais elevados de consciência. Tudo isto apenas escolhendo o que é nobre. Algo assim como: quando sua esposa chegar em casa vá encontrá-la, abrace-a, beije-a, se enrosque nela. Afinal, ela é a pessoa que você escolheu e nada mais sadio do que curti-la.

Ou, pelo menos, escove os dentes…

 

Autor: Regis Mesquita ( Psicologia Racional)

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment