Recordações

Alfabeto

wood-cube-abc-cube-letters-48898
Written by Zeneide

 

“Há mais luz nas letras do alfabeto do que em todas as constelações do firmamento.”  ( Guerra Junqueiro   1850-1923 )

Iniciei minha carreira de professora numa escolinha de madeira, na zona rural de Itapetininga, São Paulo, onde lecionava para três turmas, no período da manhã.

Ficava lá a semana toda e, à tarde, preparava aulas, corrigia provas e, às vezes, ia pescar lambaris com a criançada que morava mais perto. Também  visitava algumas famílias.

Foi assim que, num fim de  tarde, fui à casa do Pedro, um aluno que havia faltado por doença. Seus pais, muito simples, numa casinha mais simples ainda, eram tímidos e me pareceram  envergonhados. Depois de conversar um pouco e tomar o inevitável café fraco na canequinha de lata, o pai foi ao quarto e veio com uma Bíblia; meio sem jeito, perguntou se eu poderia ler para eles. A mãe explicou que aquele era um presente que ganharam na igreja que frequentavam aos domingos, no bairro vizinho, a doze quilômetros dali.  Não sabiam ler, mas estavam felizes porque o Pedro já estava começando a aprender.

Então peguei a Bíblia e fui lendo o Sermão da Montanha, algumas parábolas, uns Salmos e outros textos que eles foram pedindo, já  sem tanta timidez. Ainda agora me lembro de como eles ouviam atentos, bebendo as palavras e até suspirando, por vezes.

Despedi-me e fui embora refletindo em como o analfabetismo priva as pessoas de uma vida melhor, tanto material como espiritualmente.

E foi naquela caminhada de volta, sentindo a carícia dos últimos raios de sol, que me conscientizei da importância da profissão que escolhera.

Passado tanto tempo, saber que  aquele menino conseguiu ler a Bíblia para a edificação espiritual daquela família  me deixa profundamente feliz.

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

4 Comments

  • Você com certeza influenciou a vida de muita gente, não só com sua profissão, mas com seu exemplo de vida… Agradeço a Deus pela sua existência e sensibilidade.

  • Está é uma crônica parassem publicada nesta semana… Professores há muitos, mestres, nem tanto!

  • Obrigada, mestra! Você e um exemplo, pois, mesmo aposentada, continua na luta para formar novos mestres.Beijo.

Leave a Comment