Esperança Recordações

Ensina a criança…

pexels-photo-23966
Written by Zeneide

 

Ensina a criança no caminho em que deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele.”  (Provérbios 22:6)

“Quem leva o filho à igreja não precisa buscá-lo na cadeia” (Dr. Içami Tiba, médico psiquiatra)

Porque acreditam nisso, muitos pais levam seus filhos à igreja. Na que frequento, há professoras que se preparam para dar aulas aos pequeninos em idade pré-escolar. No início, minha filha não queria ficar sozinha na sala, por não ter ainda amigos lá. Então, acompanhei-a alguns domingos, até ela se acostumar. A Alessandra, ainda adolescente, dava aulas para essa turminha. Registro lembranças desse tempo.

Depois de cantar com as crianças, toda sorridente e simpática, contou uma bela história (ela mesma parecia personagem…) e deu uma atividade chamada “labirinto”. Explicou que eles deveriam pintar o caminho que o passarinho precisava fazer para chegar ao ninho, na árvore. Todos estavam ocupados com seus lápis de cor, menos o Patrick, que começou a desenhar em outra folha. Quando a professora perguntou por que  ele não conduzia a ave ao ninho, respondeu:  ” Não precisa! O passarinho vai voando…”

Em outra ocasião, a Alessandra falou sobre como Deus conhece cada um dos seus filhos; sabe até quantos fios de cabelo nós temos. Então perguntou: ” Quem sabe quantos fios de cabelo tem na cabeça? O Serginho levantou a mão.”Você sabe, Serginho? Quantos fios de cabelo você tem?” Ele tirou a chupeta e respondeu :  ” Bastaaannnte!”

A Cíntia tinha três anos na primeira vez em que  participou do culto com Santa Ceia.Vendo seu tio, presbítero, pegar a bandeja com o pão, falou: “Mãe, olha o tio Manassés servindo lanchinho!!!”

Esta aconteceu na igreja do pastor Sérgio Paulo. Também era a primeira vez que o seu neto Pedro estava presente no culto com Santa Ceia. Ao ver o pão ser servido, disse alto:  “É só pão, vó?  Não tem requeijão?”

Talvez essas crianças, hoje adultas, alguns já casados, não se lembrem disso mas,certamente, devem lembrar-se dos ensinamentos preciosos que aprenderam na infância. E não se esquecerão deles até ficarem bem velhinhos… Cremos na promessa!

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

10 Comments

  • Ai que delícia relembrar aqueles tempos! Eu adorava dar estas aulas e preparar com carinho cada atividade para as crianças lembro bem que a Cintia não queria nunca entrar sozinha na aula, ainda bem que pelo jeito ela foi pegando confiança e foi gostando de mim, da aula… e quem diria, rsrsrsrs, hoje somos CUNHADINHAS, como eu sempre digo a ela, que ela é minha irmã! Adorei Zeneide!

  • Obrigada! Você era uma “professorinha” encantadora, bem querida pelos baixinhos. Bons tempos! Bons laços de amizade!

  • Nossa. Isso é verdade! Me lembro que quando eu era criança, minha mãe me deu uma Bíblia Ilustrada e eu andava com essa Bíblia pra todo lugar… Levava até pra escola… rs
    Histórias que li naquele tempo ainda estão firmes em meu coração… Incrível como a Palavra de Deus permanece conosco desde a criancice… rsrs
    Deus é maravilhoso!!

    • Deus é maravilhoso! É isso mesmo! Tenho a certeza que a semente que foi plantada em seu coração dará frutos ( já está dando…) e você não esquecerá as lições aprendidas. Abraço.

  • Zeneide,

    Além de você escrever realmente com a alma, você tem uma memória fabulosa! Que Deus continue lhe dando estes dons maravilhosos…

    • Obrigada. Certas coisas marcam nossa vida, mas algumas bem que poderiam ser esquecidas, não é?

  • Ze, que Crônica linda. Levar os filhos para a Igreja e na Esc.Dom. as lições aprendidas ficam gravadas em seus corações. Ensinar as crianças e os filhos nos caminhos do Senhor é a certeza de que a palavra semeada, ficará para sempre inculcada em suas mentes e corações, bjs.

    • E você tem contribuído para isso, pois leciona para os pequeninos há muito tempo, e com amor. Beijo.

  • Zeneide,

    Sua irmã tem toda a razão! Além de ser mágica no uso das palavras, tem uma memória incrível…

    Não lembro as coisas com tantos detalhes, mas uma do Patric eu me lembro… Disse que estava “chovendo canivete” e ele saiu correndo para ver… e voltou me questionando que não viu nenhum canivete…Rsrsrs

    Abraços

    • Esse garoto, desde muito cedo, já prometia seguir a carreira artística…rsrsrs Acho que cada pessoa memoriza aquilo que a impressiona. E, como somos todos diferentes… isso é bom também, não? Beijo.

Leave a Comment