Cotidiano Humor

No supermercado

Por: Zeneide Ribeiro de Santana

Mais uma da minha irmã Zélia, aquela da “Panela velha” e da “Blasfêmia”.

Um dia resolveu mudar o visual: fez novo corte no cabelo, coloriu-os com reflexos. Ela, que já tem boa aparência, ficou ainda mais bela. Quando o marido perguntou se queria ir ao supermercado, aceitou na hora, por falta de um programa melhor para estrear o novo look.

Compraram o que precisavam e já estavam para sair, quando ela resolveu procurar algo na seção de laticínios. De repente, quando estava em frente ao açougue, anunciaram uma oferta-relâmpago: picanha pela metade do preço. Em seguida surgiu um carrinho cheio do produto e parou ao seu lado. Ela nem hesitou: pegou vários pacotes congelados nos braços. Só que muita gente correu para lá e ela se viu prensada entre o carrinho de carne e uma porta. Não podia andar por causa das pessoas ensandecidas, querendo aproveitar a oferta e acabou sendo empurrada para a tal  porta, que dava para a padaria. Imediatamente alguém avisou que ali ninguém podia entrar sem uniforme. Ela explicou que não havia como sair e que não aguentava mais aqueles embrulhos gelados nos braços. Então, mandaram que ela colocasse uma touca de padeiro, para atravessar  o espaço e sair pelo outro lado.

O marido não tinha visto nada e já estava cansado de procurá-la pelo mercado, que era enorme. (Detalhe: é daqueles que não gostam de esperar e começam a balançar as chaves do carro, sinal de que a paciência está se esgotando). Eis que chegou uma mulher despejando pacotes no seu carrinho; já ia protestar, quando viu que era sua esposa usando aquele chapeuzinho estranho, para não dizer engraçado, ocultando os belos cabelos, antes tão arrumados…

Caiu na risada e, claro, contou para todo o mundo. O episódio virou mais um dos  micos protagonizados pela  querida maninha, sempre relembrado nas reuniões familiares.

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment