Cotidiano Lições

Deus me abençoa e eu nem percebo

pexels-photo-27040-medium
Written by Zeneide

Alexandre Robles, num texto, destaca “o que a ingratidão gerou no irmão mais velho do chamado filho pródigo: a falta de percepção de que tudo o que pai tinha, era seu também. É fato que a grande maioria de nós passa a vida dando voltas, em busca de algo que não sabemos nominar, enquanto a vida que acontece ao nosso lado, com amigos, filhos, pequenos prazeres, será de fato do que mais sentiremos falta quando chegar o fim, com aquele gosto amargo de quem olha pra trás e lamenta que estava tudo tão perto, mas o coração estava tão longe! Quem não tem o coração grato, vive assim, com essa mesma sensação.” 

Faz-me lembrar a história do mendigo que esmolou a vida toda à beira de uma estrada, sentado sobre uma pedra tosca. Quando ele morreu, descobriram um tesouro enterrado embaixo da tal pedra…

Apesar de todas as provações por que passou, Jó tinha perfeita consciência da proximidade de Deus, pois chegou a afirmar : Fez maravilhas insondáveis, prodígios incalculáveis .Ele passa despercebido perto de mim, toca levemente em mim sem que eu tenha percebido. (Jó  9: 10-11)

Jó também estava consciente de que ele mesmo era o responsável por não perceber o toque leve do Senhor, que mantinha sua vida e sua esperança naquele mar revolto por tantas tempestades.

E nós? Será que prestamos atenção nas maravilhas, nos livramentos,  na provisão constante, na companhia do Santo Espírito consolador que sustenta, anima e incentiva nossa caminhada, às vezes tão dificultosa? Ou a presença do Senhor tem sido também imperceptível?

Quanto a mim, preciso retomar o hábito de não dormir sem fazer um retrospecto de tudo que aconteceu durante o dia. Quem sabe, enumerando as bênçãos diárias, não terei um coração mais grato?

 

 

 

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment