Cotidiano

Elogio

palmas
Written by Zeneide

 

Numa entrevista, um campeão olímpico afirmou que obteve sucesso porque, na infância, foi repreendido por uma professora que lhe disse que nunca conseguiria nadar bem. Imagino o tempo e o sofrimento emocional que o levaram à superação desse prognóstico negativo. Se tivesse sido incentivado, se suas qualidades tivessem sido valorizadas, certamente teria sido mais fácil e prazerosa sua trajetória.

Sobre o assunto, li a seguinte história: Numa pequena cidade, uma nova moradora queixou-se ao vizinho sobre o péssimo atendimento que recebeu numa mercearia. Dias depois, voltando lá, surpreendeu-se com a gentileza do proprietário, que a cumprimentou sorridente e a serviu com a maior atenção, oferecendo ajuda para o que precisasse. Agradeceu e foi embora satisfeita, mas intrigada. Então, perguntou ao vizinho se ele havia mencionado sua reclamação ao dono da mercearia.

– Não! – respondeu ele.

– Não mesmo? Mas ele me atendeu bem hoje!

– Eu só disse que a nova vizinha tinha admirado seu estabelecimento, que se destacava  em matéria de organização…

É isso! Elogios elevam a autoestima e estimulam boas atitudes. Claro que é preciso haver critério e sinceridade. Diferentemente da bajulação como forma de manipular, elogio não faz mal a ninguém e pode ser usado sem muita moderação.

A garota não era bonita e tinha comportamento deplorável. Uma assistente social que prestava serviço voluntário no orfanato costumava elogiar as pessoas de quem se aproximava. Mas, não conseguia achar naquela menina desgrenhada  nada que merecesse um comentário positivo. Até que, olhando bem para ela, falou:

– Sabe que sua testa é bem bonita? Se pentear os cabelos para trás, todos poderão vê-la melhor.

Com olhar zangado, ela se afastou. Mas, no dia seguinte apareceu penteada, ainda carrancuda. A voluntária elogiou seu penteado e conseguiu que ela pronunciasse alguns monossílabos. Pouco a pouco foi se aproximando, falando mais e melhorando tanto a aparência como o comportamento. Parecia mais descontraída e não mais tão feia; já se entrosava com outras crianças também. E tudo começou com um elogio!

Já elogiamos alguém hoje?

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment