Cotidiano

O FÓSFORO E A VELA

vela
Written by Zeneide

Certo dia o fósforo disse para a vela: “Minha missão é te acender.”

– Ah, não!-  disse a vela. Tu não vês que se me acendes meus dias estarão contados? Não faz uma maldade dessa, não!
 
– Então queres permanecer toda a tua vida assim dura, fria, sem nunca ter brilhado? – perguntou o fósforo.
 
– Mas ter que me queimar… Isso dói. Consome as minhas forças – murmurou a vela.
 
– Tens toda razão, respondeu o fósforo, esse é precisamente o mistério de tua vida. Tu e eu fomos feitos para ser luz. O que eu, como fósforo, posso fazer é muito pouco. Mas se passo a minha chama para ti, cumprirei com o sentido de minha vida. Eu fui feito justamente para isso: para começar o fogo. Tu és vela. Tua missão é brilhar. Toda tua dor, tua energia se transformará em luz e calor.
Ouvindo isso a vela olhou para o fósforo que já se estava apagando e disse:
 
– “Por favor, acende-me.”
                            (caminhoseveredastk.blogspot.com)
Depois de ler esse texto, pensei: “será que sou fósforo  ou vela?” Talvez devêssemos agir como os dois, alternadamente. Para poder atear fogo, é preciso ter luz própria, propiciar o combate às trevas, indicar caminhos e direções… Mas, como vela, é preciso brilhar, seja qual for a circunstância, iluminando jantares festivos ou velórios…
Ambos têm vida curta, mas cumprem seu papel: promover claridade e brilhar. Que Deus nos ajude a ter um propósito semelhante em nossa breve existência. Que possamos irradiar luz em todos os nossos dias.

About the author

Zeneide

Meu nome é Zeneide Ribeiro de Santana, professora de Língua Portuguesa e Literatura. Já sou aposentada e aproveito meu tempo lendo bastante e tricotando um pouco.

Leave a Comment